Mercado corporativo em crise: qual o caminho para manter o emprego ou buscar uma recolocação ?

De acordo com o relatório divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), nest ano o Brasil terá 700 mil novos desempregados. Com isso, o número de pessoas nesta situação no país subirá de 7,7 milhões em 2015 para 8,4 milhões em 2016. Assim, o mercado te trabalho registra o pior resultado dos últimos 24 anos. Diante deste cenário, como se destacar num momento de crise, seja para manter o emprego ou conquistar uma recolocação profissional?

Independentemente de o cenário estar positivo ou negativo, as empresas sempre precisam de bons profissionais. Porém, em situações difíceis, destacam-se ainda mais aqueles que são mais esforçados e que não têm restrições de atividades, bem como demonstram disposição para ajudar a empresa como um todo. Fazendo uma analogia com o futebol, quando o time tem um jogador expulso, os demais precisam se esforçar mais e fazer funções extras para superar tal ausência. Sendo assim, com menos recursos e profissionais, os polivalentes e dedicados são ainda mais importantes reconhecidos e valorizados.
Algumas iniciativas são fundamentais, tais como se manter a par das novidades da área de atuação, algo crucial para o sucesso profissional, pois estar sempre com a qualificação atualizada demonstra que a pessoa é interessada e dedicada. O profissional que não se atualiza fica para trás. Atualização não é um diferencial, é uma obrigação!

Outra qualidade extremamente valorizada é o espírito coletivo. Empresas focam cada vez mais no trabalho em equipe e no bom ambiente de trabalho. Estes só são conseguidos através de espírito coletivo de cada integrante. Diversos profissionais são desligados das empresas por não conseguirem incorporar esse espírito. Já os que conseguem, tem grande chance de alcançar uma carreira de sucesso.

A liderança é outra competência crucial para os profissionais que buscam exercer cargos gerenciais e de diretoria. Sendo assim, devem desenvolvê-la para obtenção de suas metas, bem como ter iniciativa, afinal profissionais sem esta qualidade não terão carreiras de sucesso, ficarão estagnados e realizarão apenas o que lhes é atribuído de maneira reativa.

O desenvolvimento técnico e o conhecimento transmite mais confiança para o profissional tenha iniciativa. Outro ponto é fugir da acomodação, já que ela nos mantém sempre no mesmo lugar ou até pior, nos faz ficar para trás.

Já o marketing pessoal deve ser realizado com ações e não com palavras, o autoelogio ou a narrativa de suas realizações podem destruir seu marketing pessoal, construindo sim uma imagem de arrogância.

Seja sempre pontual, se possível chegue antes do horário e não corra para ir embora quando atingir o horário marcado. Antes de sair, pergunte ao superior se ele precisa de mais alguma coisa, este ato demonstra a dedicação e comprometimento, muito valorizados nas empresas.

Traga novas ideias e sugestões. Neste aspecto, deve haver um estudo prévio para trazê-las embasadas, pois caso contrário o tiro sairá pela culatra. Esta atitude demonstra interesse e envolvimento profissional. Os relatórios com as tarefas realizadas e resultados são ótimas formas de demonstrar as metas obtidas, ganhando a atenção dos superiores. Porém é preciso cuidado, pois relatórios extensos e sem objetividade dão a impressão de que está desperdiçando o tempo com atividades desnecessárias para autopromoção.

Seja proativo, não leve o problema aos superiores, leve possíveis soluções. E, por fim, influencie positivamente as pessoas à sua volta. Aos poucos seus superiores vão perceber que você exerce influência positiva e que aqueles que estão em contato com você melhoram o rendimento.

Por: Ricardo Karpat, diretor da Gábor RH, administrador de empresas especializado em recursos humanos, para o portal Empresas & Negócios

Disponível em: http://goo.gl/b6GQka

Comentários reservados neste post.